Delia Fischer

Biografia

Delia Fischer ocupa uma posição muito particular na música brasileira. Afinal, tendo a sua trajetória iniciada como pianista do premiado Duo Fenix e considerada grande instrumentista no mundo do jazz, Delia acumulou talentos em novos projetos como cantora e intérprete de suas próprias composições, além de um vasto trabalho como arranjadora e diretora musical dos principais musicais em cartaz no eixo Rio – São Paulo, todos laureados por prêmios de grande relevância para o teatro como “Beatles num céu de diamantes”, “Milton Nascimento – Nada será como antes”, “Rock in Rio, o musical”, “Elis, A musical”, “Chacrinha, o musical”, “Garota de Ipanema – o amor é bossa” e “Bossa Nova em Concerto”.

Na sua carreira solo, o álbum Presente (2010 – Dubas) revela inicialmente o seu viés como cantora em composições autorais e participações estelares de Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal e da cantora Ana Carolina. Anterior a esta obra, Antonio (1999-Carmo/ECM-Alemanha) inicia a etapa solo. Saudações a Egberto (2011 – Rob Digital – Brasil) revisita com charme e competência as pérolas do mestre Gismonti e foi relançado no mercado asiático em 2016 (Tuff Beats – Japâo).

Seu novo trabalho, entitulado TEMPO MÍNIMO, com lançamento em breve, realça suas múltiplas habilidades. Neste novo álbum ela conta com colaboradores como o pianista e arranjador Sacha Amback, o talentoso multi-instrumentista Pretinho da Serrinha, o baterista Domenico Lancellotti, o guitarrista e produtor Rodrigo Campello, o cantor Ed Motta, além de Matias Correa e Antonio Fischer-Band. Todos estes convidados conferem um clima sonoro multifacetado ao trabalho, sublinhando em cada uma das faixas as linguagens que habitam o radar artístico de Delia Fischer.

Nos primeiros meses de 2018 realizou novos arranjos para sucessos de Ivan Lins para o show Simone canta Ivan Lins, que vem percorrendo as principais capitais brasileiras, em que os dois grandes artistas revisitam o repertório do compositor.

Sua carreira internacional inicia-se no Montreaux Jazz Festival de 1989, com o Duo Fenix, destaque na cena instrumental da música brasileira. Mas, já em 1988, também havia estado ao lado do trompetista e compositor Barrosinho no mesmo festival. Logo, atingiu repercussão no circuito internacional e participou de inúmeras apresentações fora de seu país como no ‘Sofia Jazz Festival’ (Bulgária) e ‘New Morning’ (Paris). Após o término do Duo Fenix, Delia também se destacou como pianista integrante das bandas de Ed Motta e Toninho Horta. Formou ainda um duo com o saxofonista Nivaldo Ornellas e nesse mesmo período atuou e gravou com Nico Assumpção, Romero Lubambo, Bob Baldwin (EUA), Thiago de Mello (EUA) entre vários outros grandes instrumentistas. Entre 2005 e 2006, atuou na Escandinávia em turnês de lançamento de ‘Hotel Vermont’ da cantora sueca Lisa Nilsson e também no CD ‘Casa da Praia’ do grupo ‘Avenida Atlântica’, em que atuou como cantora e compositora ao lado de Maria Petersen. Na Dinamarca, apresentaram-se juntas no ‘Copenhagen Jazz festival’.

Como diretora musical de musicais, Delia acumula orquestrações de espetáculos como ‘7 – O Musical’ de Ed Motta, Claudio Botelho e Charles Möeller, a partir de 2007 e uma sequencia de atividades nesse terreno das artes cênicas. Em outubro de 2009, apresenta-se no ‘Maison de La Dance’ (Lyon – França) com o espetáculo ‘Beatles num Céu de Diamantes’, de Botelho e Möeller, que lhe rendeu o seu primeiro prêmio Shell na categoria musical, por arranjos em parceria com Jules Vandstadt. Em 2010, assina a direção musical do espetáculo Era no Tempo do Rei com composições de Carlos Lyra e Aldir Blanc e direção de João Fonseca. Também integrou elencos como atriz, além de fazer a direção musical, em ‘Milton Nascimento – Nada será como antes, de 2012 e como diretora musical de grandes espetáculos como Elis, a Musical, Chacrinha, O musical e Garota de Ipanema, O Musical da Bossa Nova.

Teatro Musical – direção musical e arranjos

  • 2007 – “7 – O Musical” de Ed Motta, Claudio Botelho e Charles Möeller.
  • 2008 – “Beatles num céu de diamantes” de Cláudio Botelho e Charles Möeller
  • 2010 – “Era no tempo do Rei” com composições de Carlos Lyra e Aldir Blanc e direção de João Fonseca;
  • 2012 – “Milton Nascimento – Nada será como antes” de Claudio Botelho e Charles Möeller
  • 2012 – “Rock in Rio, o musical” – Direção de João Fonseca, texto de Rodrigo Nogueira.
  • 2013 – “Elis, A musical” por Denis Carvalho com texto de Nelson Motta e Patrícia Andrade –
  • 2014 – “Chacrinha, o musical” com direção de Andrucha Waddington e texto de Pedro Bial;
  • 2015 – O beijo no asfalto” de Nelson Rodrigues com direção de João Fonseca –
  • 2016 – “Garota de Ipanema – o amor é bossa” – Direção geral de Gustavo Gasparani e texto de Thelma Guedes.
  • 2017 – “Bossa Nova em Concerto” direção Sergio Modena, texto Rodrigo Faour
  • 2017 – “Garota de Ipanema “O musical da Bossa Nova” SP  direção Sergio Modena, texto Rodrigo Faour

Delia Fischer